Tratamento de 2021 para Microcefalia

Microcefalia no Blog Fica você sabe mais sobre tipos, zika vírus (link), Aedes Aegypti, adquirida, artigos de estudo e fotos.

Quando um bebe nasce ele precisa estar dentro das medidas padrões de normalidade.

Quando ocorre de a cabeça ser menor, ele pode estar com microcefalia.

Entenda mais sobre a doença lendo o artigo.

Sintomas da microcefalia

A microcefalia teve um surto através da infestação do mosquito que transmite o vírus da Zika, isso quer dizer, que as mulheres grávidas, quando picadas pelo mosquito transmissor o Aedes Aegypi, transmitem o vírus para o feto que nasce com microcefalia.

Quando a criança nasce com a doença ela apresenta má formação na cabeça e os sintomas podem variar como: problemas para engolir, dores de cabeça (link), convulsões, problemas na audição, anomalias nos olhos.

A mulher grávida contaminada pelo vírus Zika (link) também pode sofrer aborto de forma espontânea e natimorto.

Esse conjunto é definido como “Síndrome do vírus Zika congênito”.

Quando o bebe nasce ele tem a cabeça menor do que o normal, ou ela para de crescer após o nascimento.

A microcefalia é uma doença rara, pois um bebe, entre milhares nasce com a doença, porém por causa do Zika milhares de crianças nasceram com a doença.

Causas da Microcefalia

A microcefalia apresenta muitas causas que são potenciais, porém em muitos casos ela parece desconhecida. As causas mais comuns da microcefalia são:

  • – Toxoplasmose na gravidez; rubéola, sífilis (link), HIV, herpes e zika;
  • – Mulheres fumantes ou que bebem na gravidez;
  • – Contato com radiação, mercúrio e arsênico;
  • – Lesões decorrentes no cérebro, quando a mulher está grávida;
  • – Síndrome de Down;
  • – Desnutrição na gravidez.

Estudos comprovaram que a infecção na gravidez, pelo vírus Zika provoca anomalias congênitas, como a microcefalia.

O vírus da Zika também é um dos responsáveis pela Síndrome de Guillain-Barré.

Crianças que tiveram contato com o Zika vírus não desenvolveram microcefalia apenas no nascimento, mas que nasceram com a síndrome de Zika congênita, que não apresentaram o crânio com alterações, com o tempo desenvolveram microcefalia.

O maior risco da doença está nos três primeiros meses de gravidez, mas não é descartada a infecção durante toda a gravidez.

Portanto tomar os cuidados necessários é fundamental para manter o feto saudável sem contaminações pela Zika.

Tratamento para Microcefalia

A microcefalia não possui tratamento (link) específico, que possa fazer com que o cérebro da criança normalize, mas é preciso fazer com que a criança seja estimulada através de fisioterapias, pois dessa forma as suas habilidades podem melhorar, principalmente a fala.

O médico poderá determinar o tipo de terapia melhor para cada criança, de acordo com cada caso.

É importante que a família toda se envolva, pois a criança necessita de cuidados especiais o tempo todo e é preciso saber como lidar com ela para que possa ter melhora significativa.

Para evitar que seja infectada pelo vírus da Zika é preciso que as mulheres grávidas fiquem longe de locais onde haja infestação do mosquito transmissor da Zika, que é o maior causador da microcefalia.

Importante

  1. Este artigo é de caráter informativo/explicativo e todas as informações aqui contidas foram pesquisadas na internet. Portanto, algumas informações podem sofrer alterações ao longo do tempo, ou seja, recomendo que você consulte diretamente as empresas/produtos mencionadas(os) para sanar qualquer tipo de dúvida.
  2. As imagens e fotos aqui contidas são meramente ilustrativas, e os direitos das mesmas são reservados ao seus respectivos autores.
  3. Esperamos que o conteúdo tenha sido de bom agrado e agradecemos a visita desde já, um grande abraço!