Sífilis – tratamento e transmissão Sífilis

A sífilis é uma doença que é transmitida em relações sexuais desprotegidas, ou seja, que ocorrem sem o uso de camisinha. Uma pessoa contaminada pode ficar anos sem ter nenhum tipo de sintoma específico já que a bactéria causadora da enfermidade possui períodos de inatividade. As pessoas que fazem sexo sem preservativo precisam redobrar a atenção para fazer exames periódicos. Acompanhe o artigo completo para saber o que causa a doença, quais são os sintomas recorrentes e como é feito o tratamento.

Quais as Causas da Sífilis?

A doença é causada por uma bactéria conhecida como Treponema pallidum que é passada de um organismo contaminado para outro por meio de relações sexuais desprotegidas. A bactéria entra no corpo por meio de pequenas feridas ou cortes na pele e também por meio das membranas mucosas. A principal medida preventiva da sífilis, e de inúmeras outras doenças sexualmente transmissíveis, é usar preservativos como as camisinhas masculina ou feminina.

A existência de muitos parceiros sexuais, especialmente sem o uso de preservativos, e o fato de a pessoa possuir o vírus HIV são fatores de risco que aumentam as chances de contágio. Existe ainda a possibilidade de uma gestante infectada transmitir a doença durante a gravidez, por meio da placenta, para o filho ou ainda durante o parto.

Quais os Sintomas da Sífilis?

A sífilis possui geralmente quatro estágios que representam a evolução da doença. Em cada um deles, podem acontecer alguns sintomas:

  • Primário: o local da infecção apresenta feridas que não doem e que dependendo da região são imperceptíveis. Essas feridas se formam em até três semanas depois da infecção e somem em até seis semanas.
  • Secundário: um terço das pessoas que não trata a sífilis primária desenvolve a secundária que é caracterizada por sintomas como febre, vermelhidão na pele, dor de garganta, gânglios nas axilas, dores musculares, dificuldade de deglutir e aumento do baço e do fígado.
  • Latente: não existem quaisquer sintomas nesse estágio porque a bactéria está inativa e pode permanecer assim por muitos anos.
  • Terciário: é o mais grave dos estágios da sífilis e atinge cerca de 15% das pessoas que não fizeram tratamento nos estágios anteriores. Os órgãos como olhos, cérebro, coração e ossos podem ser danificados causando variados problemas de saúde como cegueira, paralisia e demência. Em alguns, pode levar à morte.

Qual o melhor Tratamento para Sífilis?

Como a doença apresenta sintomas que podem ser confundidos com outras enfermidades, é preciso que o paciente esteja atento para informar ao médico a ocorrência de sexo sem proteção para que os exames necessários sejam feitos. Estes podem ser: exames de sangue, cultura de bactérias e punção pulmonar. O tratamento da sífilis é feito à base do antibiótico conhecido como penicilina. Dependendo do estágio da doença, uma ou duas injeções do medicamento já são eficazes. Por isso, é extremamente importante que a enfermidade seja diagnosticada o quanto antes para que o tratamento possa ser iniciado.

Quando uma pessoa é contaminada precisa informar ao seu parceiro para evitar que a infecção atinja mais pessoas. O tratamento costuma ser eficaz e impede que o paciente tenha complicações. Portanto, estas são as principais informações sobre a sífilis. Ficou com alguma dúvida? Então deixe o seu comentário e compartilhe conosco as suas dúvidas sobre esse assunto! Aproveite também para ver o nosso artigo que fala sobre HPV e fique por dentro de todos os detalhes acerca dessa doença!

Por favor, aguarde…

0